domingo, 19 de agosto de 2012

Quimeras...

 Ah! como eu quisera
sair deste alaúde antigo,
e sem corpo, apenas som
poder ao longe alcançar-te,
suave presença,envolver-te,
como doce música dançante
a inebriar os teus sentidos...
e eu, beijar-te-ia docemente
como não te querendo acordar
até que, aos meus ouvidos,
murmurando, a tua voz
viesse em segredo me revelar,
coisas de mim, de ti, de nós...
Ah! doce sonho meu, quimeras.

Foto e poesia: Vera Alvarenga

6 comentários:

  1. Vera, lindo e delicado,

    Um sussurro dos desejos subconscientes!

    Boa semana!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário delicado o seu, Sissy! Obrigada.

      Excluir
  2. Sempre um lindo olhar para o mundo!!!
    Grande abraço, amiga!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Malu! Estive em seu blog hoje e gostei demais. Você é tão animada e, lendo seu perfil mais uma vez penso que os seus gestos são para o mundo. Parabéns! Grande abraço e boa semana!

      Excluir
  3. Que bonito, Vera. Um lindo olhar sendo refletido numa linda foto. Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio, dentro de nós temos luz e seu oposto em potencial,em infinitas possibilidades a escolher. Pois quando saio com minha câmera, meus olhos já acostumados com minha preferência em refletir momentos de delicadeza, automaticamente fazem um zoom em algumas cenas e...eu tenho de clicá-las! É também minha maneira de vivenciar tais momentos independentemente da idade,da aparência, da realização de sonhos ( que muitas vezes precisam coincidir com o sonho do outro). A experiência de fotografar e ver os resultados é, para mim, como extrapolar meus limites;me permite viver momentos deliciosos possíveis; reflete meu desejo de crer e me permite ser, no ato e junto com a coisa fotografada, mais bela e mais autêntica.
      Obrigada. Abraço e boa semana também!

      Excluir

Seu comentário é bem vindo ! Obrigada

Compartilhe com...